sexta-feira, 16 de setembro de 2016

Riqueza miserável

Resultado de imagem para avareza
O tópico desta crónica é sobre a avareza.
Recentemente surgiu um artigo interessante:um guru chamado James Altucher vive apenas com 15 objectos.
Segundo a notícia,o milionário americano teve muitos altos e baixos na sua carreira e por isso decidiu ser radical.
Na prática é impossível viver só com 15 objectos.Prestando atenção,ele não tem shampôo e gel de banho,pasta e escova de dentes,roupa de inverno,roupa interior e não cozinha,ou seja,ele não faz a higiene diária nem sequer tem panelas portanto é um grande inconveniente pois os básicos são indispensáveis.
Para quê doar mais de 40 sacos de lixo cheios de pertences (incluindo os pessoais) se ele vive no sofá de amigos ou em apartamentos da Airbnb?Que raio de amigos são esses que abrem a porta de casa para acolher um milionário?Se o empreendedor está a fazer o que o próprio apregoa,acaba por ser uma má inspiração para o público que o segue!
Há uma certa confusão do conceito minimalista...originalmente foi copiado dos japoneses onde muitos já aderem a este estilo de vida baseado em pouco materialismo mas como é lógico,isto não tem nada a ver com minimalismo:no fundo é trauma não assumido depois de ter passado por insucessos financeiros.
Se ele optou por viver de miséria,não faz sentido nenhum os livros de auto-ajuda continuarem a terem saída no mercado,também devia de ter abdicado porque o dinheiro obtido está relacionado com a venda das publicações.
Não adianta ter dez ideias por dia se o dito guru não se sabe ajudar a si vai muito menos conseguir ajudar os outros!!!
O James Altucher revela uma tremenda incapacidade de auto-gestão e além disso representa o típico americano tolo.
Apesar de tudo não tinha de ir do oito para oitenta (ou ao contrário) dado que os 4 mil dólares estão a ser mal aproveitados e isso não é simplicidade e sim pobreza;ele devia ter feito uma doação a alguém mais carenciado (e não aos amigos),mudar de emprego onde ganhasse menos e em comum à maioria da classe baixa onde pudesse ter poucos objectos em casa e não implicasse gastos exacerbados,bem como não desse para acumular coisas supérfluas e fosse num espaço pequeno.
Ele é que ironicamente precisava de ser aconselhado antes de chegar a esse ponto...os amigos em vez de o permitirem,deviam ter o bom-senso de incutirem juízo e de avisá-lo do erro crasso que está a cometer mesmo tendo aquela idade e sendo de confiança,era esse o papel deles.Lá na América costuma haver inúmeras oportunidades de trabalho e os problemas não são tão graves quanto aos de cá,por isso foi escusado ser avarento;o estilo de vida adoptado por James Altucher está mal planeado e só é aplaudido entre acéfalos (ou talvez por ele ser reconhecido).
É a tal velha história:não vale ter tanta riqueza se o objectivo é ser um completo miserável.
Como foi mencionado no texto,o minimalismo assenta-se em questões ecológicas e éticas,tratando-se em dar um ambiente leve e natural à casa para quem puder é claro assim como foi salientado na entrevista feita à guru Bea Johnson ou então reduzir ao máximo os plásticos,loiça,textêis e acessórios,deixando somente o necessário a ser utilizado e consumido no dia-a-dia consoante aquilo que se pode comprar e encontrar nas superfícies comerciais.
Concluindo a mensagem,um rico larga tudo menos o dinheiro logo o guru está longe de ser considerado um bom exemplo.

Sem comentários:

"O discurso é o rosto do espírito." Séneca
"A vida é uma simples sombra que passa (...);é uma história contada por um idiota,cheia de ruído e de furor e que nada significa." William Shakespeare
"O homem que não tem vida interior é escravo do que o cerca" Henri Amiel
"É bom escrever porque reúne as duas alegrias: falar sozinho e falar a uma multidão" Cesare Pavese .