sexta-feira, 30 de abril de 2010

Rihanna vs. Miley Cyrus

Qual delas está mais na onda?

(e vocês respondem:Miley Cyrus!)

Como tudo começou

Eis a história deste blog:

tudo surgiu através de uma ideia que tive em partilhar factos do dia-a-dia e também pela necessidade de crítica.
Ter um diário não era suficiente...ou seja,no diário escrevo coisas secretas,no blog,coisas para todos lerem e partilharem opiniões.
O nome do endereço pode-vos parecer esquisito mas é que quando eu criei não tinha imaginação para pôr um nome...perceptível,digamos nem sabia o que era um blog,só fiquei a saber quando apareceram bloguistas portugueses na televisão a dizer que a comunidade em língua portuguesa na blogosfera é pequena.
"Netspice" pelo meu lado girly (era para pôr um mais ousado) e "vidasombria" (então este nome é que odeio mesmo,é repugnante!) porque comecei precisamente...gótica,tinha uma mente assombrada,eu andei durante um certo tempo (no blog também) meio deprimida.
Agora vejo que este nome não faz sentido nenhum. (mas também não se fez luz na minha mente,nem foi porque deixei de gostar do oculto.Não,nada disso) E se eu o alterar vai-se todos os comentários.
O blog também tinha um visual gótico:fundo preto,letras a lilás e outros campos com letras de cores meio berrantes e nojentas.
Nunca tive o título fixo.O último que eu saiba era silêncio no escuro e tinha cruzes nas extremidades.
Cheguei à brilhante conclusão que o estilo que tinha não era fixo...percebi isso recentemente! :S
Como viram houve uma mudança radical.
E foi assim que nasceu o meu mundo.

Avril Lavigne vs. Pink

Qual dos géneros de música tem mais estilo?

Black eyed peas vs. No doubt

Qual das bandas fez mais sucesso?

Shakira vs. Beyoncé

Qual delas tem melhor performance e melhor voz?

Lady Gaga vs. Madonna

Qual delas tem melhor qualidade nas letras das músicas?

quinta-feira, 29 de abril de 2010

Estrella- la fiesta loca

E como o calor aparece aos poucos,deixo esta música que combina bem com o verão.



viva o verão


*A dona deste blog deseja-lhe um bom resto de dia.*(cheia de luz e magia!)

Tokio Hotel vs. D'zrt

Qual das bandas teve mais fãs e fez mais furor?

João Manzarra

Um gajo feio mais feio não há na televisão portuguesa do que o João Manzarra!
Testa grande,barba lixa,sorriso de cavalo,cara inchada como um porco,ar roqueiro e comportamentos de puto de turma é a imagem de marca desta figura pública.
Mas é claro que ele tem qualidades como saber dançar e cantar bem uma música qualquer.
E depois é de ver a pitalhada toda histérica na televisão com cartazes a dizer:"João Manzarra,faz-me um filho".
Mas será que não havia outro jovem melhor do que esta criatura que aceitasse o convite para estar na sic?É que o João Manzarra ficava muito bem na sic radical.

quarta-feira, 28 de abril de 2010

Estado do blog

Declaro que este blog está assim (vazio). É só eu que vê o que este blog tem,é só eu que ando aqui,os outros mal aparecem! (Ou se calhar nem devem existir)
Desculpem estar a escrever assim mas tem de ser.Já que não posso obrigar ninguém a fazer com que chova comentários logo ao minuto seguinte em que a mensagem é lançada.
Meus senhores e minhas senhoras,este blog está escasso em termos de comentários,graças a vocês!
Eu comento uma mensagem ou outra de uns blogues,precisamente com a esperança de ser retribuída!Mas não!O tal bloguista (como a miss Kitty Fane,que não vou enumerar os erros das estruturas dos textos que cada mensagem tem só por respeito) lança por dia meia dúzia de mensagens e depois fica horas sentado à frente do pc como um rei à espera que chovam comentários e que todos aplaudam como se fosse o único da blogosfera!!!(que também não acredito que todos gostem do tal bloguista,porque sei que muitos não têm coragem de criticar e muitos não aceitam as verdades) 

Eu sou viciada em estar aqui...nunca pensei que ter um blog fosse melhor que estar registada numa rede social,isto é bué da fixe estar aqui sempre a escrever e ler as histórias dos outros!

Contudo o estado do blog continua vazio e assim continuará devido ao vosso contributo.

Mensagens relacionadas:


*A dona deste blog deseja-lhe um bom resto de dia.*(cheia de luz e magia!)

karma e reencarnação

Ontem fui pesquisar acerca do que são karmas de vidas passadas.
Lembrei-me de pesquisar estas teorias do além porque eu tive uma stôra de ed.f. que falava muito de karmas de vidas passadas,alinhamento de chacras,apêgos e sobretudo das emoções.
Praticamente não fizemos ed.f no nosso último ano mas ficamos a saber muita coisa só que não consigo verbalizar.
A informação que a nossa stôra nos deu,a mim foi muito útil fiquei a saber mais.
Deixo aqui o site que achei interessante . (Clicar nos números do fundo da página para ler mais)

Também pode estar interessado em

teste de vidas passadas



*A dona deste blog deseja-lhe um bom resto de dia.*(cheia de luz e magia!)

terça-feira, 27 de abril de 2010

José Sócrates (deixemos a política de parte)

Boa tarde a todos os que lêem este blog!
Hoje deu-me para falar acerca do senhor primeiro-ministro José Sócrates.
Como todos sabem,o líder do PS é sempre muito mediatizado entre todas as outras figuras públicas e são poucas as vezes em que o tipo (desculpem mas está-me a dar para rir) aparece de cara séria.
O Sócrates aparenta ter um ar vaidoso quando é assediado pelos paparrazzis,está sempre a sorrir para todos e quando passa é como se estivesse a espalhar boa disposição.
Não sei se vocês acham o mesmo mas o que sobressai mais é o nariz que é grande como o do Pinóquio.
Acho muita graça hahahahahaa e também acho graça da voz do gajo como se fosse um papagaio a falar hahahahaha.
E vocês.Quais são o(s) vosso(s) líderes políticos favoritos?

segunda-feira, 26 de abril de 2010

O direito de ser diferente (e a formação de grupos)

Boa tarde!
O tema de hoje é sobre os grupos e convivência humana.
Reconstruí este texto a partir de um relatório meu (e portanto de um trabalho desenvolvido) em a.p. (quando andava na escola) e apesar de ser muito básico,acho que isto faz falta a muita gente.

Todo o ser humano é diferente.Cada um de nós é reconhecível como indivíduo,inicialmente e, mais superficialmente,por nossa aparência física.Contudo,nossa singularidade como seres humanos individuais envolve,não apenas,sermos distinguíveis dos outros,mas também sermos diferentes em nosso comportamento,personalidade,gostos e antipatias,talentos,género e nacionalidade.Nossa origem linguísta,religiosa,cultural e étnica também ajuda a definir quem somos.Alguns dos factores que nos tornam diferentes dos outros são resultantes de exercermos nossos direitos democráticos e nossas preferências,mas existem outros aspectos que,em circunstâncias normais,não podemos escolher.Estes incluem nosso sexo,a cor da nossa pele ou a família ou tradição cultural na qual nascemos.
Ainda assim,somos todos membros de uma indivisível raça humana.

Um dos problemas mais difíceis de lidar que surgem da nossa condição humana,é nossa tendência de definir outras pessoas em termos meramente negativos,e de ver todo o grupo ao qual pertencem como inferior.Isto levou à ideologia e à prática de classificar as pessoas em grupos distintos e homogéneos,com base em critérios tais como,cor da pele,idioma,religião ou herança genética ou cultural.Por este processo,os povos do mundo são classificados em hierarquias fixas de imutáveis características desejáveis ou indesejáveis,que são usadas para definir e rotular todas as pessoas de um tal ou qual grupo.

A raça humana tem uma longa história de intolerância à diferença.Ao longo de todo esse tempo,ser rotulado de "diferente" tem sido sinónimo de ser visto como inferior,indesejável,apartado e,assim,apropriado apenas para a servidão,a escravidão ou a eliminação.

O desafio de ser diferente
Desde a pré-história,já eram encontrados indícios de que os primeiros homens buscavam viver em grupos,da mesma maneira,percebemos essa característica também entre os animais.Em grupos,os animais conseguem,com mais eficácia,sua sobrevivência,e consequentemente,está assegurada a perpetuação da sua espécie.

Embora se compreenda a eficácia de se viver em grupos,na civilização moderna,o que se constata muitas vezes,é a dificuldade da convivência.Temos a impressão de que muitas pessoas,às vezes,preferem viver a sua independência,se fechando para o outro,ao invés de se adaptar às exigências de algumas regras básicas,necessárias,que são estabelecidas naturalmente em função do bom relacionamento.

Diante de tamanha particularidade,entendemos que dentro de um relacionamento- juntamente com os demais integrantes,cujos comportamentos também são diferentes e únicos- podemos enfrentar alguns desafios.Obviamente uma pessoa terá problemas de convivência,dentro de um grupo social,se manter o caractér de disputas,de autopromoção no desejo de se destacar sobre os demais,de concorrência ou de ciúmes.

Padrões culturais
Padrão cultural é o conjunto de comportamentos,práticas,crenças e valores comuns aos membros de uma determinada cultura.
Os padrões culturais servem de quadros de referência e marcam presença enquanto interpretações acessíveis às pessoas.Por outro lado,ao influenciarem as actividades,os modos de relação entre pessoas e os significados que lhe são associados,ajudam a determinar,para um dado grupo cultural,quais são as experiências comuns e o que estas experiências podem significar.

A cultura a que pertencemos exerce uma forte influência na forma como pensamos e sentimos,naquilo que consideramos bonito ou feio,bom ou mau,aceitável ou inaceitável.
Influencia a roupa que usamos,o que comemos,o modo como nos relacionamos,definindo o que consideramos normal ou anormal.

Aculturação
A aculturação é o conjunto dos fenómenos resultantes do contacto contínuo entre grupos de indivíduos pertencentes a diferentes culturas,assim como as mudanças nos padrões culturais de ambos os grupos que decorrem desse contacto.
Este processo é de uma sociedade global resultante das viagens,do turismo,das migrações e das comunicações.

mensagens relacionadas com este tema

A questão da filosofia na cidade

O preconceito

sexta-feira, 23 de abril de 2010

O ódio liga mais os indivíduos que a amizade

O ódio,a inveja e o desejo de vingança ligam muitas vezes mais dois indivíduos um ao outro do que o podem fazer o amor e a amizade.Pois está em causa a comunidade de interesses interiores ou exteriores e a alegria que se sente nessa comunidade onde é muitas vezes determinada a essência das relações positivas entre os indivíduos:o amor e a amizade- é sempre relativa e não é em nenhum caso um estado de alma permanente;mas as relações negativas,essas são,a maior parte das vezes,absolutas e constantes.O ódio,a inveja e o desejo de vingança têm,poder-se-ia dizer,o sono mais ligeiro do que o amor.O menor sopro os desperta,enquanto que o amor e a amizade continuam tranquilamente a dormir,mesmo sob o trovão e os relâmpagos.

Arthur Schnitzler,in "Relações e Solidão"

*A dona deste blog deseja-lhe um bom resto de dia.*(cheia de luz e magia!)

quinta-feira, 22 de abril de 2010

Caixa de mensagens

Muito boa tarde!
Eu só venho dar uma informação acerca da caixa de comentário deste blog.
Não se assustem se virem o fundo ou as cores das frases de côr diferente,comentem na mesma.Eu apenas formatei o aspecto do meu pc,porque estava muito farta de ver azul e branco por todo o lado (predefinição do windows).
Para quem não sabe como se altera as letras e os fundos do pc e também gostava de mudar o visual,deixo aqui a pista:
menu do pc> clic tecla direita do rato> propriedades>aspecto> avançadas> (o resto é ao vosso critério).
No fim clica-se em ok na janela do aspecto avançado e depois na janela das propriedades.
(Para voltar a estar tudo como estava é só seleccionar predefinição azul e clicar em ok nas propriedades de visualização)
E fui assim que descobri.

*A dona deste blog deseja-lhe um bom resto de dia.*(cheia de luz e magia!)

quarta-feira, 21 de abril de 2010

Privacidade pública

Muito boa tarde!
Como devem ter reparado,nas mensagens abaixo envolvi-me em pesquisas sobre a influência dos media e sobre o sensacionalismo.
Embora eu já não seja mais estudante,continuo a cultivar-me porque sou fascinada por temas que dizem respeito aos media e à televisão,gosto sempre de saber mais,e além disso nunca é tarde demais para aprender e o saber não ocupa espaço.
Hoje o tema é sobre privacidade.
Viver num mundo moderno e globalizado não é fácil.Temos cada vez mais conhecimentos científicos ao dispôr,as informações circulam rapidamente por todo o lado,todos os anos são nos impostos novos padrões de beleza,novos modos de vida e o que era considerado tabu deixou de existir. Também na área da tecnologia surgem constantemente novos avanços técnicos.
Contudo há muitos valores morais que foram decaíndo e grande parte da população passou a ser liberal.

A partir do momento em que temas como a educação s ***** passaram a ser mediatizados e discutidos nas escolas e na televisão,deixou de haver privacidade no que diz respeito a questões íntimas das pessoas e todos aprendem este tipo de coisas desde cedo,o que origina relações precoces.
Os media é que contribuiram para quebrar o tabu das vidas das pessoas,mas por outro lado são culpados pelos conteúdos impróprios.É por isso que as crianças crescem à força e os jovens perderam a inocência,o que faz com que a privacidade de uns esteja em causa devido ao liberalismo de outros.(quando os valores se chocam,há muito preconceito e nem todos conseguem aceitar as diferenças uns dos outros)
O outro tipo de privacidade que existe,(e isto é comum) é o das redes sociais.
É nas perguntas básicas e nas descrições uns dos outros que podemos conhecer ou desconhecer muito sobre alguém.
E não venham dizer que só quem quer é que preenche todo o questionário,porque todos nós temos tendência para expôr dados pessoais na internet,como o local onde vive e a escola que frequentou,só que uns expõem mais e outros menos. 
Concluindo:a televisão é um meio que divulga muito informações menos próprias acessíveis a todas as faixas etárias em vez de ser só dirigida ao público adulto,e isso leva com que os jovens tomem isso como modelo,mas também se não fossem os media continuávamos a ser uns completos ignorantes.
É por isso que cada vez mais a privacidade é pública.
 


*A dona deste blog deseja-lhe um bom resto de dia.*(cheia de luz e magia!)

terça-feira, 20 de abril de 2010

A influência e o poder dos media

Ética, Comunicação e Sociedade

Influência da comunicação social na opinião pública



Introdução

A ideia de que a imprensa, a rádio e o cinema podem influenciar e manipular os indivíduos, vem desde o final dos anos 30, princípios dos anos 40.
O Poder politico tenta usar os media em proveito próprio, principalmente a imagem: ela vale mil palavras. Mas em assuntos delicados e comprometedores ele zela cuidadosamente para que não circule nenhuma imagem. Neste caso trata-se de uma forma de censura, nem mais nem menos. Os relatos escritos, os testemunhos orais podem ser apresentados dado que nunca irão provocar o mesmo efeito. O peso das palavras não se compara ao choque das imagens. A imagem, quando é forte, apaga o som e o olhar transporta-a até ao ouvido. Deste modo hoje existem por aí imagens sob forte vigilância, ou até mesmo, proibidas, que é a maneira mais precisa de segurá-las.
À medida em que a nossa civilização se desenvolve, parece haver uma indiferença cada vez maior das pessoas perante a vida humana. Ninguém se espanta quando o noticiário da televisão exibe assassinatos ou acidentes horríveis. Este comportamento de indiferença pode ser explicado, em parte, pelo facto de os programas de televisão se caracterizarem, na sua grande maioria, pela indeterminação do tempo e do espaço. Num determinado momento, pode-se estar a falar sobre a vida dos indígenas na Europa do século XV e alguns segundos mais tarde na explosão de um vulcão no Japão e, mais alguns segundos depois, aborda-se um acidente de avião ocorrido noutra cidade. Esta variação rápida de tempo e espaço não permite que o nosso cérebro faça um julgamento adequado dos acontecimentos, acabando por esquecer alguns dos detalhes.

Percepção dos meios de comunicação social como “não-problema”

O indivíduo tem tendência a não associar mensagens que entrem em contradição com a sua forma de pensamento. Tem tendência a ouvir apenas o que vai ao encontro das suas opiniões. O receptor procede a uma percepção selectiva ligada à sua interpretação, filtrando a mensagem em função do seu pensamento. Esta filtragem pode levar à alteração da mensagem inicial, ou seja, as pessoas que consomem as visões do mundo produzidas pelos media também as reinterpretam de maneira diferente de acordo com as suas tradições, religiões e, de uma forma geral, de acordo com a sua ética.
A comunicação social tem um papel fundamental na opinião, pois sem a presença de uma informação vinda de fora a opinião não era formulada. Mas a única opinião formulada é aquela para a qual o indivíduo já está predisposto. Conteúdos que eventualmente contrariem a sua crença são geralmente descartados.
De acordo com esta perspectiva, os meios de comunicação são um não-problema, já que a base da opinião se encontra basicamente dentro de cada cidadão, nas suas limitações éticas, nas suas preocupações e não na informação despejada pelos media.

Influência da comunicação social

Vivemos numa actualidade em que a televisão aposta muito em novelas e desenhos animados violentos. Será isto uma boa influência? Vejamos: as novelas retratam a vida do público ou tentam criar uma imagem do dia a dia de cada indivíduo, mas se analisarmos bem, quantos divórcios ocorrem em cada novela? Quantas crianças faltam às aulas? Quantas desobedecem aos pais? Quantas fazem asneiras? No meu ponto de vista as pessoas por vezes esquecem-se que aquilo é ficção e que a vida é a realidade. Algumas ficam preocupadas com o que aconteceu na novela e esquecem-se dos problemas do dia-a-dia. Outras seguem a novela como exemplo e não se preocupam se desrespeitam os pais, os educadores e outros indivíduos.
Isto é considerado normal, pelo menos na novela.
Por outro lado, a televisão tem um efeito preponderante na educação, como é o caso dos documentários, debates, etc, que desenvolvem uma cultura melhor, uma melhor argumentação, um aprofundamento de novas linguagens e uma visão do mundo que não está ao alcance de todos os indivíduos, podendo contribuir para mudanças de atitude e de respeito pela diversidade.
A publicidade em ajudas humanitárias também tem uma grande importância, porque mostra às pessoas os problemas a que a humanidade está sujeita, como é o caso de doenças incuráveis como a SIDA ou o cancro, ou também problemas derivados à escassez de rendimentos por parte de algumas famílias, o que leva à fome ou a algumas limitações.

A televisão é muito utilizada para efeitos de marketing, influenciando o público a comprar determinados produtos. Na altura do Natal são imensas as publicidades feitas a todo o tipo de brinquedos, para que as crianças peçam aos seus pais aquela boneca que viram na televisão ou aquele carro e para não falar na quantidade de propaganda feita aos telemóveis. É um absurdo, leva a que as pessoas queiram comprar um outro topo de gama porque tem mais funcionalidades, ou porque é mais bonito, ou porque cabe no bolso ou até porque dá para vestir com umas calças mais apertadas. De facto é impressionante como a televisão influencia o consumismo da população.

Manipulação da opinião pública

A televisão influência, e muito, o consumismo da população. Em muitos dos casos só se compra um produto porque apareceu na televisão. Por exemplo imaginemos que estamos a comprar um perfume e hesitamos em qual das marcas escolher; muito provavelmente vamos comprar a marca de que mais nos falaram. Ora o mesmo acontece no caso de estarmos numa cabina de eleições. Se estivermos indecisos em qual dos políticos votar, votamos no que mais ouvimos falar.
O público em geral apenas analisa os políticos pela imagem que eles nos dão, pelo que assistimos na TV. O que o público quer é vê-los no seu comportamento quotidiano, no universo da sua vida privada. Os políticos pouco poder têm sobre os problemas da vida: o desemprego, a pobreza… O que conta é a generosidade, a qualidade de relacionamento para com os cidadãos, e é por meio da televisão que se pode fazer uma ideia da simpatia de um homem público. Mas o que nos garante que essa informação que a TV transmite é a realidade? O político pode muito bem ir a uma festa do povo, uma feira por exemplo, e chamar os media para assim influenciar a opinião pública. É o que se vê hoje, em dia de campanha. É difícil dizer qual o político mais “bondoso”; eles visitam lares, escolas, etc. De certo modo é isto que o público quer, mas também é pedida a maior das sinceridades, que por vezes não é cumprida. Apenas como exemplo e não querendo dizer nada em concreto: “o presidente dos EUA, no dia do atentado de 11 de Setembro de 2001, encontrava-se no meio de uma sala de aula com crianças quando o informaram que as torres gémeas tinham sido atacadas”. Pode ter sido apenas uma coincidência mas... e se não foi?
O jornalismo pode ser também usado como forma de manipulação da opinião pública. O trabalho jornalístico consiste em recolher várias informações dispersas e distribuí-las pelos meios de comunicação. O consumidor que lê um jornal ou assiste a um noticiário não tem como verificar se essa notícia realmente aconteceu. Ele confia no jornal ou no noticiário. Esta incapacidade de comprovação leva a que possam ocorrer notícias irreais apenas para o aumento das audiências ou para manipulação da opinião pública. A confirmação da confiança que se concede a um determinado noticiário só poderá ser efectuada pelos noticiários concorrentes que apresentam o mesmo conteúdo. Ou seja, se um jornal apresenta uma notícia falsa ou deixa de relatar algo que tenha relevância, os seus concorrentes irão denunciar a fraude ou a omissão, em busca de benefício próprio, mas actuando em proveito do público.



Por vezes os meios de comunicação são alvo de censura por parte do governo, ou por forças maiores, ocultando informações importantes que não convém que venham a público. O caso da guerra do Golfo, em que os jornalistas foram proibidos de mostrar aquilo que queriam,vendo-se obrigados a que todos os despachos fossem visados pela censura militar antes de serem enviados assim como à interdição de fornecer detalhes sobre as perdas e destruições importantes que ocorressem no campo de batalha.
A falsificação de informação é uma realidade bem presente nos media, desde falsificação de programas de entretenimento, de notícias, de documentários, etc. Por exemplo, quando o telespectador telefona para um programa de entretenimento com o intuito de, quem sabe, ganhar algo respondendo a uma simples pergunta, quem nos garante a fiabilidade do concurso? Será que os resultados não são manipulados?
Também existem programas em que actores são contratados com a finalidade de se fazerem passar por simples pessoas que foram enganadas ou que perderam algum familiar e que o querem encontrar. Isto tudo para “comprarem” audiências e a atenção do público.


Com o avanço tecnológico que estamos a viver é cada vez mais fácil falsificar notícias e imagens. Com a tecnologia digital tudo é possível, fácil e nada caro. Todas as modificações em fotografias existentes, todos os truques, toda a técnica de digitalização estão acessíveis a todos, podem alterar tudo sem que possamos defender-nos disso.

Imprensa

A comunicação social encontra-se dominada pelo mercado e pelo lucro. A vida íntima das pessoas públicas torna-se noticia para qualquer noticiário ou para qualquer revista. Os paparazzi não são mais do que o resultado da situação geral dos meios de comunicação. Estes fotógrafos, cuja profissão consiste em surpreender vedetas e celebridades na sua intimidade e cuja função tem como finalidade tornar pública a vida privada, sobretudo quando é suposto que essa privacidade continue a ser privada, perseguem, “caçam”, vivem em “esconderijos” e preparam “emboscadas” sempre prontos a dispararem flashes quando menos se espera.

Conclusão

Estas ocorrências alertam para o facto de, nos dias de hoje a manipulação da informação ser  bastante perigosa. Embora seja um dado adquirido que a informação é manipulada pelos poderes instalados, quer sejam económicos ou políticos, torna-se cada vez mais difícil conseguir efectuar essa manipulação sem que, mais cedo ou mais tarde, se seja penalizado por isso.
Com os progressos quase diários a nível tecnológico, é difícil para o poder político controlar os meios de comunicação. Com o aparecimento da Internet a informação rapidamente se transmite e chega aos cidadãos. Nas sociedades democráticas é cada vez mais importante,quer para os media quer para os órgãos e instituições políticas, obter o consentimento e o apoio da população.
Os meios de comunicação social são a forma de as pessoas se sentirem em contacto com o mundo desconhecido, estando constantemente informadas quer sobre acontecimentos mediáticos quer sobre catástrofes naturais ou até mesmo doenças mortais. Desta forma tornam-se importantes os meios de comunicação para divulgar e prevenir o alastramento de certos tipos de vírus que possam contagiar um maior número de indivíduos, como foi o caso da gripe das aves, em que rapidamente toda a população dos países envolvidos tomou conhecimento das medidas preventivas que poderia adoptar de forma a não ser contagiada. Esta rápida divulgação apenas foi possível recorrendo aos meios de comunicação social.

Fonte:Ética,comunicação e sociedade,escola superior de tecnologia de Tomar


*A dona deste blog deseja-lhe um bom resto de dia.*(cheia de luz e magia!)


quinta-feira, 15 de abril de 2010

Reality-shows e programas sensacionalistas

Ora muito boa tarde!
Hoje venho expor temas de caracter popular e que têm influências no nosso dia-a-dia.
Não sou jornalista,nem estudante de comunicação social,muito menos cientista que anda por aqui a fazer estudos e sondagens acerca de programas sensacionalistas e de audiências.
Pergunto apenas se lembram dos vossos ídolos ou dos vossos concorrentes favoritos de reality-shows que deram na tvi.
Como todos sabem o primeiro reality-show foi o "Big Brother",do qual o vencedor foi o Zé Maria,depois foram aparecendo outros até que em 2005 deu a chamada "1ªCompanhia",em que um grupo de celebridades tinham uma vida de autênticas recrutas,com instrutores próprios da tropa e quem se destacou foi José Castelo Branco.


(Gostei da parte em que ele está a pôr baton dentro do tubo XD)



(Gisela Serrano,ex-concorrente do masterplan,Perdidos e Achados,sic)

É certo que os reality-shows são uma forma das pessoas serem famosas e lançadas para o estrelato e que pode haver certas encenações ocultas (ou não) para mostrar aos espectadores alguma dramatização,mas por exemplo,quando os concorrentes brigam,mostram o caracter real,a personalidade própria porque eles não são actores nem têm guião! (daí os programas serem chamados de reality-show)Só câmeras instaladas pelos cantos para os telespectadores assistirem às suas tarefas.Também é certo que com o passar dos tempos,as ditas estrelas vão caindo no esquecimento pelo público,ou deixam de aparecer na televisão ou então aparecem pelos piores motivos.
Na sic,a produção mais recente de reality-show é o "Achas que sabes dançar?",do qual houve uma equipa de dançarinos que andou a fazer furor na baixa de Lisboa de forma a publicitar o programa.
(Daqui a alguns anos alguém se vai lembrar dos castings do programa X ou do Y do programa B e dos top 10 dos cromos?)

Quanto aos programas sensacionalistas,o talk-show "Você na tv" da tvi é um exemplo disso.
Dois apresentadores barulhentos,que troçam de assuntos tabu e que fazem figuras tristes quando falam de algum assunto polémico.
(Mais valiam serem animadores sociais,mais a Júlia Pinheiro).

O sensacionalismo é uma forma de manipular a informação de modo incompleto ou parcial e apresentar essa informação num formato exagerado ou enganador.A explosão de notícias sensacionalistas em geral resulta em audiência.
A imprensa sensacionalista não se presta a informar,muito menos a formar.Presta-se fundamentalmente a satisfazer as necessidades instintivas do público,por meio de formas sádicas,caluniadoras e ridicularizadoras das pessoas.

"O concurso, com João Manzarra, foi o mais visto de domingo com 1,2 milhões de espectadores. Melhor do que o 'Ídolos'.

Estreou-se no domingo e com o pé direito: Achas que Sabes Dançar?, a nova proposta da SIC para as noites de domingo, foi o programa mais visto de domingo, dominando o horário nobre com 1,250 milhões de espectadores, à frente da novela da TVI Meu Amor (habitual campeã), que fez menos cerca de 7 mil espectadores de audiência média, e bem à frente da outra estreia da noite, o concurso O Cubo, com Jorge Gabriel, na RTP1 (cerca de 595 mil espectadores).
Os três programas começaram e terminaram em horários diferentes, mas enquanto estiveram em concorrência directa - entre as 21.30 e as 22.20 - a vitória clara é da SIC, com 33,5% quota de mercado contra os 30,9% da TVI e os 15,9% da RTP1.
A estreia de Achas que Sabes Dançar superou os números obtido pelo anterior concurso de talentos da SIC, Ídolos. O formato, inagurado em Outubro de 2009, fez 12% de audiência média, o correspondente a pouco mais de 1,1milhão de espectadores.
Uma análise mais minuciosa dos números revela ainda que o concurso apresentado por João Manzarra foi o preferido entre a classe A/B e C1, isto é, nas classe alta e média alta, com 12,2% e14,2% de audiência média, respectivamente. A novela Meu Amor supera Achas que Sabes Dançar nas classes mais baixas, C1 e D, com 13,4% e 18,4%.
A divisão por género, mostra que 10,1% dos homens preferiram o programa da SIC e 9% ficaram a ver a novela da TVI. Com elas foi ao contrário: 16,9% da amostra viu Meu Amor, 16,1% quis ver os cromos e talentos do programa de João Manzarra.
Por idades, a vitória também foi da SIC dos quatro aos 44 anos. Os mais velhos estiveram sintonizados na TVI.
O Cubo manteve-se consistentemente em terceiro lugar, independentemente da classe social (o seu melhor resultado são 7,6% de audiência média entre os representantes da classe D) e do género. A divisão por idades mostra duas curiosidades: o concurso consegue um melhor resultado na faixa etária entre os 4 e os 14 anos (2,7%) do que entre as pessoas que têm entre 15 e 24 anos (1%). E consegue ser mais popular entre os maiores de 64 anos do que Achas que Sabes Dançar? .
Nas contas do dia, a SIC também ganhou com 29% de share. A TVI fez 25,9% e a RTP1 20%."

Fonte:DN Tv&Media

E é assim que o mundo da televisão nos drogam.

www.labcom.ubi.pt/agoranet

*A dona deste blog deseja-lhe um bom resto de dia.*(cheia de luz e magia!)

quarta-feira, 14 de abril de 2010

O país perdeu a inteligência e a consciência moral

O País perdeu a inteligência e a consciência moral.Os costumes estão dissolvidos e os caracteres corrompidos.A prática da vida tem por única direcção a conveniência.Não há princípio que não seja desmentido,nem instituição que não seja escarnecida.Ninguém se respeita.Não existe nenhuma solidariedade entre os cidadãos.Já se não crê na honestidade dos homens públicos.A classe média abate-se progressivamente na imbecilidade e na inércia.O povo está na miséria.Os serviços públicos vão abandonados a uma rotina dormente.O desprezo pelas ideias aumenta em cada dia.Vivemos todos ao acaso.Perfeita,absoluta indiferença de cima a baixo!Todo o viver espiritual,intelectual,parado.O tédio invadiu as almas.A mocidade,arrasta-se,envelhecida,das mesas das secretárias para as mesas dos cafés.A ruína económica cresce,cresce,cresce...O considerado na sua acção fiscal como um ladrão e tratado como um inimigo.

Eça de Queirós
----------------------------------------------

*A dona deste blog deseja-lhe um bom resto de dia.*(cheia de luz e magia!)

terça-feira, 13 de abril de 2010

A vida do Homem é tão afadigada e inútil

A vida do Homem é tão afadigada e inútil!Vida dum dia,tão combatida de pensamento,tão dolorosa de acção,tão avara das consolações de alma e dos descansos do corpo,tão cheia de desenganos!Felizes os que podem estar longe destes movimentos estéreis,desta cansada deslocação de músculos e de forças,e ter por única atenção a sombra das árvores e por única preocupação o crescer das violetas.Eu não compreendo vida alguma a não ser a vida dos Napolitanos e dos antigos Gregos.Essa é uma vida natural,donde foram excluídas as invenções do movimento humano.Essa vida é toda contemplativa e serena.É uma vida exterior,de vegetação.Deus deu o descanso e a passividade feliz à àrvore,à pedra,às nuvens.Só deu fadiga aos animais e,sobretudo,ao homem.A antiga sabedoria consistia em ser simples e sereno como a Natureza.É o que os Gregos faziam na sua vida descuidada,de harmonia,de doce inacção.
(...) Porque é que nós não somos assim?Porque é que nós não temos também uma vida toda natural e somente tirada das alegrias das árvores e do estado do céu?Somos mais activos,mais presos às pequenas coisas da vida,mais ambiciosos, mais empreendedores;e entre nós seria julgado ridículo aquele que se contentasse com a sombra duma alameda ou com a frescura dum rio.

Eça de Queirós
-----------------------------------------------
*A dona deste blog deseja-lhe um bom resto de dia.*(cheia de luz e magia!)

sábado, 10 de abril de 2010

Escrever é triste

Escrever é triste.Impede a conjugação de tantos outros verbos.Os dedos sobre o teclado,as letras se reunindo com maior ou menor velocidade,mas com igual indiferença pelo que vão dizendo,enquanto lá fora,a vida estoura não só em bombas como também em dádivas de toda natureza,inclusive a simples claridade da hora,vedada a você,que está de olho na maquininha.O mundo deixa de ser realidade quente para se reduzir a marginália,puré de palavras,reflexos no espelho (infiel) do dicionário.
O que você perde em viver,escrevinhando sobre a vida.Não apenas o sol,mas tudo que ele ilumina.Tudo que se faz sem você,porque com você não é possível contar.Você esperando que os outros vivam,para depois comentá-los com a maior cara-de-pau ("com isenção de largo espectro,"como diria a bula,se seus escritos fossem produtos medicinais).Seleccionando os retalhos de vida dos outros,para objeto de sua divagação descompromissada.Sereno.Superior.Divino.Sim,como se fosse Deus,rei proprietário do universo,que escolhe para seu jantar de notícias um terremoto,uma revolução,um adultério grego-às vezes nem isso,porque no painel imenso você escolhe só um besouro em campanha para verrumar a madeira.Sim,senhor,que importância a sua:sentado aí,camisa aberta,sandálias,ar condicionado,cafezinho,dando sua opinião sobre a angústia,a revolta,o ridículo,a maluquice dos homens.Esquecido de que é um deles.
Ah,você participa com palavras?Sua escrita-por hipótese-transforma a cara das coisas,há capítulos da História devidos à sua maneira de ajuntar substantivos,adjetivos,verbos?Mas foram os outros,crédulos,sugestionáveis,que fizeram o acontecimento.Isso de escrever «O Capital» é uma coisa,derrubar as estruturas,na raça,é outra.
E nem sequer você escreveu «O Capital».Não é todos os dias que se mete uma ideia na cabeça do próximo por via gramatical.E a regra situa no mesmo saco escrever e abster-se.Vazio,antes e depois da operação.

Carlos Drummond de Andrade,in "O Poder Ultrajovem."
----------------------------------------------------
*A dona deste blog deseja-lhe um bom resto de dia.*(cheia de luz e magia!)

sexta-feira, 9 de abril de 2010

O amor não passa de uma pobre coisa banal e incompleta

Perdoo facilmente as ofensas,mas por indiferença e desdém:nada que me vem dos outros me toca profundamente. O amor!Ah,sim,o amor!Linda coisa para versos!A minha dolorosa experiência ensinou-me que sou só,que por mais que a gente se debruce sobre o mistério duma alma nunca o desvenda,que as palavras nada exprimem do que se quer dizer e que um grande amor,de que a gente faz o sangue e os nervos e as próprias palpitações da nossa vida,não passa duma pobre coisa banal e incompleta,imperfeita e absurda,que nos deixa iguais,miseravelmente iguais ao que éramos dantes,ao que continuaremos a ser.Então...para quê?

Florbela Espanca,in "Correspondência (1930)"
--------------------------
*A dona deste blog deseja-lhe um bom resto de dia.*(cheia de luz e magia!)

quinta-feira, 8 de abril de 2010

Não julgues

Não julgues.A vida é um mistério,cada um obedece a leis diferentes.
Conheces porventura a força das coisas que os conduziram,os sofrimentos e os desejos que cavaram o seu caminho?Supreendestes porventura a voz da sua consciência a revelar-lhes em voz baixa o segredo do seu destino?Não julgues.
Olha o lago puro e a água tranquila onde vêm quebrar-se as mil vagas que varrem o universo...é preciso que aconteça tudo aquilo que vês.
Todas as ondas do oceano são precisas para levar ao porto o navio da verdade.Acredita na eficácia da morte do que queres para participares do que deve ser.

Jeanne Vietinghoff (citado em "In memoriam",por Marguerite Yourcenar)

quarta-feira, 7 de abril de 2010

O riso é o melhor indicador da alma

Acho que,na maioria dos casos,quando uma pessoa se ri torna-se nojento olhar-nos para ela.Manifesta-se no riso das pessoas,na maioria das vezes,qualquer coisa de grosseiro que humilha a quem ri,embora essa pessoa quase nunca saiba que efeito o seu riso provoca.
Tal como não sabe (ninguém sabe,aliás) a cara que faz quando dorme.Há quem mantenha no sono uma cara inteligente,mas outros há que, embora inteligentes,fazem uma cara tão estúpida a dormir que se torna ridícula.
Não sei por que  tal acontece,apenas quero salientar que a pessoa que dorme,não sabe a cara que faz.De uma maneira geral,há muitíssimas pessoas que não sabem rir.(...)
Mesmo o riso incontestavelmente inteligente é,às vezes,abominável.O riso exige em primeiro lugar sinceridade,mas onde está a sinceridade das pessoas?O riso exige a ausência de maldade,mas as pessoas, na maioria dos casos,riem com maldade.Um riso sincero e sem maldade é uma pura alegria,mas,nos tempos que correm,onde está a alegria?E poderão as pessoas ser alegres?(...)
Portanto:se quiserdes compreender uma pessoa e conhecer-lhe a alma não presteis atenção à sua maneira de se calar,ou de falar,ou de chorar,ou de se emocionar com as ideias mais nobres,olhai antes para ela quando se ri.Ri-se bem-é boa pessoa.

Fiodor Doistoievski,in "O adolescente"

terça-feira, 6 de abril de 2010

Sem assunto sério, portam-se como cães e gatos

Quando não há assunto,um assunto positivo,sério,os homens activos comportam-se entre si como cães e gatos,e começam a discutir por uma questão de princípios e de convicções.
Recriminam-se uns aos outros por não compartilharem das mesmas crenças,e o ofensivo declara ao parceiro que ele não vê um palmo diante do nariz;e um ou outro que se mostra indiferente para com tudo menos para consigo;e alguns que se ocupam das leis municipais e gostariam de pôr tudo sob a sua jurisdição.E assim sucessivamente.É insuportável.

Fiodor Dostoievski,in "Diário de um escritor"

segunda-feira, 5 de abril de 2010

Porque escreves descuidadamente?

Quem escreve descuidadamente faz,antes de mais, a confissão de que não dá grande valor aos seus pensamentos.Porque o entusiasmo que inspira a persistente resistência necessária para descobrir a forma mais clara, mais eficaz e mais atraente de expressar os nossos pensamentos é gerada simplesmente pela convicção do seu peso e da sua verdade-tal como só utilizamos escrínios de prata ou de ouro para as coisas sagradas ou obras de arte de valor incalculável.
Poucos escrevem da mesma forma que um arquitecto constrói,traçando antecipadamente um plano e pensando-o até aos mais ínfimos pormenores.A maioria escreve como joga dominó:as frases ligam-se entre si como as peças de dominó,uma a uma,em parte deliberadamente,em parte por acaso.

Arthur Shopenhauer, in "Aforismos".

quinta-feira, 1 de abril de 2010

Mensagem sobre os arquivos de mensagens

Boa tarde!
Venho deixar uma mensagem aos leitores para comentar também os arquivos deste blog.(se as vossas excelências não forem pessoas preguiçosas nem acharem que é um duro trabalho de pesquisa)
Um tema passado não é nenhum lixo, e portanto não vou estar a repetir mil vezes os mesmos assuntos ditos por outras palavras só para estar na página inicial do blog.


                                                                                                       Obrigada pela atenção.

"Existir não é pensar:é ser lembrado." Teixeira Pascoaes
"O discurso é o rosto do espírito." Séneca
"A vida é uma simples sombra que passa (...);é uma história contada por um idiota,cheia de ruído e de furor e que nada significa." William Shakespeare
"O homem que não tem vida interior é escravo do que o cerca" Henri Amiel
"É bom escrever porque reúne as duas alegrias: falar sozinho e falar a uma multidão" Cesare Pavese .