segunda-feira, 26 de abril de 2010

O direito de ser diferente (e a formação de grupos)

Boa tarde!
O tema de hoje é sobre os grupos e convivência humana.
Reconstruí este texto a partir de um relatório meu (e portanto de um trabalho desenvolvido) em a.p. (quando andava na escola) e apesar de ser muito básico,acho que isto faz falta a muita gente.

Todo o ser humano é diferente.Cada um de nós é reconhecível como indivíduo,inicialmente e, mais superficialmente,por nossa aparência física.Contudo,nossa singularidade como seres humanos individuais envolve,não apenas,sermos distinguíveis dos outros,mas também sermos diferentes em nosso comportamento,personalidade,gostos e antipatias,talentos,género e nacionalidade.Nossa origem linguísta,religiosa,cultural e étnica também ajuda a definir quem somos.Alguns dos factores que nos tornam diferentes dos outros são resultantes de exercermos nossos direitos democráticos e nossas preferências,mas existem outros aspectos que,em circunstâncias normais,não podemos escolher.Estes incluem nosso sexo,a cor da nossa pele ou a família ou tradição cultural na qual nascemos.
Ainda assim,somos todos membros de uma indivisível raça humana.

Um dos problemas mais difíceis de lidar que surgem da nossa condição humana,é nossa tendência de definir outras pessoas em termos meramente negativos,e de ver todo o grupo ao qual pertencem como inferior.Isto levou à ideologia e à prática de classificar as pessoas em grupos distintos e homogéneos,com base em critérios tais como,cor da pele,idioma,religião ou herança genética ou cultural.Por este processo,os povos do mundo são classificados em hierarquias fixas de imutáveis características desejáveis ou indesejáveis,que são usadas para definir e rotular todas as pessoas de um tal ou qual grupo.

A raça humana tem uma longa história de intolerância à diferença.Ao longo de todo esse tempo,ser rotulado de "diferente" tem sido sinónimo de ser visto como inferior,indesejável,apartado e,assim,apropriado apenas para a servidão,a escravidão ou a eliminação.

O desafio de ser diferente
Desde a pré-história,já eram encontrados indícios de que os primeiros homens buscavam viver em grupos,da mesma maneira,percebemos essa característica também entre os animais.Em grupos,os animais conseguem,com mais eficácia,sua sobrevivência,e consequentemente,está assegurada a perpetuação da sua espécie.

Embora se compreenda a eficácia de se viver em grupos,na civilização moderna,o que se constata muitas vezes,é a dificuldade da convivência.Temos a impressão de que muitas pessoas,às vezes,preferem viver a sua independência,se fechando para o outro,ao invés de se adaptar às exigências de algumas regras básicas,necessárias,que são estabelecidas naturalmente em função do bom relacionamento.

Diante de tamanha particularidade,entendemos que dentro de um relacionamento- juntamente com os demais integrantes,cujos comportamentos também são diferentes e únicos- podemos enfrentar alguns desafios.Obviamente uma pessoa terá problemas de convivência,dentro de um grupo social,se manter o caractér de disputas,de autopromoção no desejo de se destacar sobre os demais,de concorrência ou de ciúmes.

Padrões culturais
Padrão cultural é o conjunto de comportamentos,práticas,crenças e valores comuns aos membros de uma determinada cultura.
Os padrões culturais servem de quadros de referência e marcam presença enquanto interpretações acessíveis às pessoas.Por outro lado,ao influenciarem as actividades,os modos de relação entre pessoas e os significados que lhe são associados,ajudam a determinar,para um dado grupo cultural,quais são as experiências comuns e o que estas experiências podem significar.

A cultura a que pertencemos exerce uma forte influência na forma como pensamos e sentimos,naquilo que consideramos bonito ou feio,bom ou mau,aceitável ou inaceitável.
Influencia a roupa que usamos,o que comemos,o modo como nos relacionamos,definindo o que consideramos normal ou anormal.

Aculturação
A aculturação é o conjunto dos fenómenos resultantes do contacto contínuo entre grupos de indivíduos pertencentes a diferentes culturas,assim como as mudanças nos padrões culturais de ambos os grupos que decorrem desse contacto.
Este processo é de uma sociedade global resultante das viagens,do turismo,das migrações e das comunicações.

mensagens relacionadas com este tema

A questão da filosofia na cidade

O preconceito

"O discurso é o rosto do espírito." Séneca
"A vida é uma simples sombra que passa (...);é uma história contada por um idiota,cheia de ruído e de furor e que nada significa." William Shakespeare
"O homem que não tem vida interior é escravo do que o cerca" Henri Amiel
"É bom escrever porque reúne as duas alegrias: falar sozinho e falar a uma multidão" Cesare Pavese .