quarta-feira, 2 de dezembro de 2009

Uma observação (e talvez crítica) acerca das telenovelas

Muito boa tarde!
Hoje venho filosofar acerca dos enredos de telenovelas.
Para quem vê sempre todas as telenovelas portuguesas e não perde nunca um episódio, já devem ter reparado que mostram sempre conflitos que giram entre ricos e pobres.
Todas as telenovelas são semelhantes.Por exemplo: as personagens deslocam-se de carro (em vez de ser em transportes),têm criados em casa (em vez de serem eles próprios a fazerem as coisas), certas casas têm escadas para ir para os quartos, não têm corredor (em vez de terem), ninguém casa com personagens que estejam fora de cena, o termo família é considerado só como mãe, pai e filhos (o resto é ocultado), os maus da fita acabam sempre solteiros e outros presos, as famílias regem-se todas por ideologias conservadoras ( em vez de se regerem por valores mais variados), não há muitos colos,passeios em família,vícios tecnológicos,nem grandes contactos físicos entre membros de família. As relações destes demonstram "grande" distância.
A ficção excessiva "aborrece" muito!É por isso que para além dos produtores ocultarem muita coisa e muitos temas acerca da realidade,muita gente deixou de ver telenovelas porque sabem que o enredo é sempre o mesmo:há sempre alguém rico e alguém pobre e o objectivo é o dinheiro.
"O discurso é o rosto do espírito." Séneca
"A vida é uma simples sombra que passa (...);é uma história contada por um idiota,cheia de ruído e de furor e que nada significa." William Shakespeare
"O homem que não tem vida interior é escravo do que o cerca" Henri Amiel
"É bom escrever porque reúne as duas alegrias: falar sozinho e falar a uma multidão" Cesare Pavese .