quinta-feira, 7 de julho de 2016

Ciúmes e possessividade

Saudações!
O tópico desta mensagem é sobre ciúmes no relacionamento.
Chegou finalmente a altura de desenvolver uma crónica sobre um sentimento natural outrora muito mal visto pela maioria das pessoas e que actualmente ganhou um sentido positivo.
Antes de mais,ciúmes é diferente de possessividade:a possessividade é proveniente da insegurança da pessoa,auto-estima frágil,falta de auto-controlo,de estrutura mental e do complexo de inferioridade.
Portanto,a sociedade foi induzida em erro.O excesso é que é desgastante e ninguém é um animal de estimação para ter uma coleira,aí se pode considerar uma psicopatologia digna de tratamento.
Passando agora ao tópico,num relacionamento os membros não são livres para fazerem o que quiserem,isso deve ser aproveitado durante a fase de solteiro.É normal haver ciúmes leves sobretudo no início,pois muita gente não sabe manter a fidelidade,o sentimento é inofensivo e não revela desconfiança nenhuma,pelo contrário,é zelo pelo outro até porque hoje em dia todo o cuidado é pouco.
Ter ciúmes tornou-se demonstração de afecto,medo da pessoa ser trocada ou de lhe mentirem devido a uma experiência negativa do passado e jamais deve ser confundido com a necessidade de pertença e sim que se importa e não é conformista na relação,algo difícil de ser entendido pela maioria!
Provocar ciúmes não tem graça.Caso o membro continue com faltas de respeito e a dar motivos apesar de tudo,o relacionamento deve ser terminado antes de aparecer uma avalanche de problemas...há quem meta a culpa nos ciúmes como forma de justificar a irracionalidade cometida.São raros os que sabem deste detalhe por isso convém estar em alerta dentro do compromisso,relembrando de que a pessoa emite sinais de traição e nem sempre tem a capacidade de medir as consequências.
Os ciúmes leves são causados pela paranóia no elemento feminino e pela vontade de assumir domínio no elemento masculino que obviamente não é grave,é essencial existir para fortalecer os elos.Infelizmente neste aspecto alguns no fundo sentem mas não admitem por causa dos rótulos associados.
A possessividade é o patamar seguinte da obcessão.
Concluindo,um relacionamento sem "trela curta" perde o propósito e dá a impressão do casal estar desinteressado.

Sem comentários:

"O discurso é o rosto do espírito." Séneca
"A vida é uma simples sombra que passa (...);é uma história contada por um idiota,cheia de ruído e de furor e que nada significa." William Shakespeare
"O homem que não tem vida interior é escravo do que o cerca" Henri Amiel
"É bom escrever porque reúne as duas alegrias: falar sozinho e falar a uma multidão" Cesare Pavese .