terça-feira, 9 de junho de 2015

Acerca dos pedidos de casamento em público

Tal como o título indica,nesta crónica vai-se abordar acerca dos pedidos de casamento em público.
Tem-se vindo a ser ponderado há bastante tempo,casais que optam por se declarar ao resto do mundo e finalmente chegou a altura de falar deste tema.
Não é novidade nenhuma de que os pedidos de casamento são ensaiados:um filma,outro canta/toca música,um dos amigos ajuda a organizar,outro serve de intermediário e o público a assistir à cerimónia como se fosse uma peça de teatro de rua.
Ora como é exposto na internet,trata-se apenas de uma mera demonstração exibicionista para ganhar aprovação na relação,uma vez que o amor nunca dependeu de gente desconhecida.
Quem pensa que todos aceitam os pedidos de casamento,engana-se,já existem vídeos dos que foram rejeitados e aqui a popularidade sobe em flecha.
Para já,há três partes:o rejeitado,o parceiro que o rejeitou e ainda as reacções do público a potenciarem esta merdice.
Em primeiro lugar,as pessoas vão escarnecer naturalmente daquele que rejeitou o pedido porque são testemunhas,estão lá a fazer número;em segundo,o rejeitado em vez de ser gozado vai receber apoio devido à ingenuidade dos que acreditam de se tratar de um acto romântico e por último,essa pessoa tem de aprender a sofrer as consequências da fama,pois a ideia surgiu do próprio!
Só alguém muito frustrado no amor,lida mal com um "não" e os outros que não respeitam a decisão,perdendo tempo e energia a rogarem pragas a alguém que infelizmente não pertence à família,vale sempre lembrar o provérbio:"quem com ferro fere,com ferro morre".A lei do retorno é real e os efeitos serão ressentidos.
A pessoa que rejeitou o pedido de casamento em público,também carrega um fardo pesado da sociedade por ainda condenar estas atitudes...enfim,a internet é o auto-de-fé na idade virtual;a humanidade está muito atrasada na evolução de valores morais.
As declarações em público são semelhantes às serenatas:o amado ia cantar com uma viola à porta da amada e este corria o risco de ser levado com um balde de água da janela.
O problema é de quem leva à letra os pedidos em vídeo.Depois começa-se a estoirar as indirectas e lamentações nas redes sociais,os ex aplaudem a tampa,aparecem um milhão de chamadas não atendidas,descobre-se egos feridos,cornos,sentimentos de culpa e obviamente aparecem os fofoqueiros para deitarem mais "lenha na fogueira",parasitas que se alimentam de situações pessoais.
Os pedidos de casamento em público são absolutamente ridículos e quem critica é mal-amado?Essa é boa.Por este andar ninguém mais vai conseguir distinguir discrição de exposição,daí a impressão de banalização!
O amor não existe nesses vídeos,isso é trabalho de parvalhões.Aquilo é apenas para passar uma boa imagem de homem (ou mulher) querido/a da família quando no fundo não são,ou seja,são palhaçadas para entretenimento de massas.
Uma relação envolve um casal,não o planeta Terra mas se é assim que se querem serem vistos,estão sujeitos a opiniões e a levarem com desconhecidos a filmarem.
É o fruto da falta de filtros e um dia na vida o casal vai ter vergonha.A marca vai permanecer online quer seja rejeitado,quer seja aceite.

Sem comentários:

"O discurso é o rosto do espírito." Séneca
"A vida é uma simples sombra que passa (...);é uma história contada por um idiota,cheia de ruído e de furor e que nada significa." William Shakespeare
"O homem que não tem vida interior é escravo do que o cerca" Henri Amiel
"É bom escrever porque reúne as duas alegrias: falar sozinho e falar a uma multidão" Cesare Pavese .