domingo, 24 de maio de 2015

O papel da televisão

Mortíssimas saudações!
O tema desta mensagem vai ser focado no papel que a televisão tem vindo a desempenhar.
Nos últimos anos,a televisão tem perdido o seu poder.Nesta crónica com um título bastante "emocionante",pode-se constatar o retrato dos media.
A televisão já não dá novidades:limitou-se a transmitir programas degradantes,barraqueirismos,músicas duvidosas,notícias sensacionalistas sobre desgraças,comportamentos negativos e grande parte do tempo é dedicado aos discursos políticos.
Quanto aos canais internacionais,também pouco se aproveitam,pois muitos conteúdos são banais.É só fazer um zapping para notar que os filmes por exemplo,são todos uns iguais aos outros e não existe valores construtivos presentes.Tudo é à base de modelos já pré-concebidos.
A televisão atingiu um ponto de saturação:nem para ruído de fundo serve e foi substituído pelas redes sociais.
Há quem diga que quanto mais lixo visual o público consome,mais as entidades reguladoras emitem e por outro lado,demonstra em parte o reflexo dos países.A liberdade de imprensa é um factor destacado e determinante nas influências dos telespectadores.
Encontrar um entretenimento de qualidade tornou-se num  grande desafio,pois a televisão deixou de produzir programas originais dando espaço ao interesse da maioria.
Da lógica dos media,exibir algo relevante como cultura geral ou princípios morais,não iria compensar as audiências,por isso o básico sai a triunfar.
Por conseguinte,a televisão precisa de ser reinventada e voltar a ter o papel activo de agregador de massas,mesmo tendo a concorrência das plataformas.

Sem comentários:

"O discurso é o rosto do espírito." Séneca
"A vida é uma simples sombra que passa (...);é uma história contada por um idiota,cheia de ruído e de furor e que nada significa." William Shakespeare
"O homem que não tem vida interior é escravo do que o cerca" Henri Amiel
"É bom escrever porque reúne as duas alegrias: falar sozinho e falar a uma multidão" Cesare Pavese .