quinta-feira, 27 de março de 2014

Ponto final ou reticências?

Ao deparar com esta mensagem onde se descreve numa abordagem primária que nem tudo são rosas,lembrei de uma série de coisas que se encaixam perfeitamente e que sempre soube que não são parvoíces.
Com o tempo,vai-se descobrindo que a escola é o reflexo do que vai ser a sociedade;que os "sapos" andam disfarçados de "príncipes";que os errados serão sempre as vítimas;que as pessoas estão mais para julgar que para apoiar;que nem tudo é como dizem;que uma pessoa sozinha não pode mudar o mundo;que a felicidade tornou-se sinónimo de mesquinhez;que quem não guarda segredos não é de confiança;que há pessoas de passagem nas nossas vidas;que onde impera ignorância não pode haver inteligência;que há gente que só vê o que lhes convém,apesar de toda a argumentação;que o amor-próprio serve apenas para nós e que não transparece merda nenhuma nem é valorizada;que pequenas palavras causam grande impacto mas são as atitudes que traduzem como alguém realmente é e muito do que se transmite é cliché.
À medida que o tempo vai passando,vai-se descobrindo também que os conselhos bons aparecem muito tardiamente;que os outros não estão em sintonia;que a vida é a melhor universidade para se aprender;que o lado sombrio revela pessoas autênticas e extraordinárias;que um dia de chuva é tão romântico quanto um dia de sol e que palavras bonitas só fazem paisagem.
Com o tempo,vai-se descobrindo que os pontos finais se transformam em reticências,porque muito do que se capta é insuficiente.
Ponto final só quando se trata de factos.O destino tem um rumo traçado que muda as voltas e deixa questões em aberto.

Sem comentários:

"O discurso é o rosto do espírito." Séneca
"A vida é uma simples sombra que passa (...);é uma história contada por um idiota,cheia de ruído e de furor e que nada significa." William Shakespeare
"O homem que não tem vida interior é escravo do que o cerca" Henri Amiel
"É bom escrever porque reúne as duas alegrias: falar sozinho e falar a uma multidão" Cesare Pavese .