segunda-feira, 8 de fevereiro de 2016

Modas carnavalescas


A dissertação desta mensagem vai ser sobre a relação entre a moda e os trajes de carnaval.
Cada vez mais se pode constatar de que a moda adquiriu um conceito bastante liberal:o que dantes era motivo de gozo,hoje é um estilo a ser copiado.
Ora a linha entre a moda e os trajes de carnaval é muito ténue,perdendo a típica surpresa e piada de outrora.
No resto do ano não é novidade nenhuma haver crianças adultizadas precocemente,jovens a aparentarem serem mais velhos e gente de meia-idade a aderirem a modas de "bairro problemático" e às outras extravagâncias.
Há uma falta enorme de consciência colectiva e a maioria anda cheia de manias!Este motivo é o suficiente para levar à desvalorização do carnaval.
Há fatos de adultos medíocres ao modo fetiche e erótico,a vulgaridade está presente no dia-a-dia e o samba para além de ser uma tradição importada do Brasil,não combina com o clima cinzento deste país.
A dança é uma imitação ridícula e mal feita na tentativa de se sobressairem com o ego inflamado,como de costume portanto não representa.Por vezes até chegou-se a desfilar corsos de menores em trajes curtos e impróprios,exibição abusiva e digna de ferir a vista...só mesmo os portugueses todos escandalosamente convencidos que são bons,certamente com a desculpa batida de ser dia de folia!
Do outro lado existem homens mascarados de mulher:para quê se a moda masculina tornou-se efeminada e adoptou-se comportamentos de mariquinhas?Não faz sentido apelar à palhaçada,não compensa nos adultos,o carnaval só reforça aquilo o que eles são.
As modas por si chamam a atenção através das meganails art com apliques,cores garridas,acessórios femininos pirosos,cabelo esticado,maquilhagem à cigana,peças de roupa brilhantes e com padrões,calçado de galdéria,calças justas para rapazes,barba comprida e malas de ombro.
Pela observação,o surto de loucura afecta gente de todas as estirpes desde que o bom-senso deixou de imperar.
As modas carnavalescas praticamente são regra para a maioria da sociedade, geralmente incapaz de discernir o adequado a um determinado tipo de imagem e também vivem na borga,logo o evento não faz diferença.
Como já foi referido no início,antigamente era impensável estes trocadilhos,sobretudo quando alguém de meia-idade tivesse um visual mais jovem ou inspirado nas barracas ou ainda uma pessoa forte com roupa justa,era de mau gosto e sinal de baixa auto-estima.
Em suma,as energias estão muito desequilibradas e talvez só com o passar do tempo tudo volte a ser restabelecido.

Sem comentários:

"O discurso é o rosto do espírito." Séneca
"A vida é uma simples sombra que passa (...);é uma história contada por um idiota,cheia de ruído e de furor e que nada significa." William Shakespeare
"O homem que não tem vida interior é escravo do que o cerca" Henri Amiel
"É bom escrever porque reúne as duas alegrias: falar sozinho e falar a uma multidão" Cesare Pavese .