terça-feira, 1 de setembro de 2015

(im)Oralidades

O tema desta crónica vai ser sobre as (im)oralidades ocorridas dentro de quatro paredes.
Como ultimamente se tem falado em partilhas de textos eróticos a roçar o porno,desta vez o foco será nas oralidades,que foram consideradas obscenas e perversas.
As correntes filosóficas recentes defendem que no prazer vale experimentar actos menos próprios com a boca.
O primeiro de todos que se ouviu falar,foi do s. anal,a seguir estava na moda o cunilingus...neste é de imaginar o tamanho constrangimento ver cus peludos,borbulhentos,malcheirosos,"lavados em lixívia",estragados e ainda saborear as bordas,correndo o risco de levar com bufas fétidas na cara!!!É por isso que não se tocou no assunto e a vontade passou xD
Quanto ao s. oral,era dada só ao elemento masculino (denominado de garganta funda).Poucos elementos femininos recebiam e conheciam porque estas (im)oralidades eram associadas a fetiche ou algo típico de acompanhantes de luxo e festas privadas de grupos.
Os órgãos no fundo são sempre nojentos,repugnantes e não estão limpos mas para ninguém se inibir,geralmente nunca se admite,uma vez que convém ter ambos uma boa higiene nessas alturas.
Não tarda nada,vai-se andar por aí a dizer que comer a merda do parceiro e beber o mijo é excitante e quem não fizer,vai ser chamado de preconceituoso...é que só falta isso acontecer,devido à falta de noção!
A pessoa que recebe o dito prazer da (im)oralidade,na verdade não geme,faz figuras tristes e autênticas palhaçadas na cama:pernas grandes abertas,olhos fechados (ou fora das órbitas),corpo absolutamente podre de feio e por algum motivo,todos se tornam contorcionistas.
E no fim o elemento masculino sai todo convencido da vida a achar que satisfez a parceira,que é a última coca-cola do deserto,e que essas reacções todas são fascinantes de se observar.Esta espécie realmente é retardada,falsa e despreza constantemente os outros elementos femininos,em vez de transmitir boas palavras!!!
Para já os gemidos lembram alguém a ser possuído pelo demónio/vítima de bruxaria (no caso masculino,são grunhidos das cavernas);segundo,é falta de auto-controlo;terceiro,as mordaças também contam e por último,revela fraqueza carnal,pois isso funciona como um enaltecimento ao ego de quem fez!
Cada vez mais se pode comprovar a presença da imaginação fértil em acção,através de pequenas exaltações à imagem feminina outrora ignoradas.
Qual será a próxima descoberta abominável?O melhor mesmo é deixar os tolos acreditarem nas tais (im)oralidades que levam ambos os lados ao delírio,quando o objectivo é banalizar o assunto.
Para quem segue as correntes filosóficas eróticas com atenção,vai notar imediatamente que muita coisa está camuflada de modo os leitores não se sentirem inseguros,ofendidos e com pudores na cama:no bom-senso a perfeição não existe.
Estas referências apareciam na revista "Maria" mas agora não se tem coragem de gozar,precisamente por ser imposição em nome do prazer.
Em resumo:as (im)oralidades são escandalosas.

Sem comentários:

"O discurso é o rosto do espírito." Séneca
"A vida é uma simples sombra que passa (...);é uma história contada por um idiota,cheia de ruído e de furor e que nada significa." William Shakespeare
"O homem que não tem vida interior é escravo do que o cerca" Henri Amiel
"É bom escrever porque reúne as duas alegrias: falar sozinho e falar a uma multidão" Cesare Pavese .