segunda-feira, 6 de abril de 2015

"Quem nasce para lagartixa,nunca chega a jacaré"

Se há coisa que sempre faz confusão,é quando alguém chama de morena a uma pessoa clarinha.
A indústria da moda não é propriamente culpada pelo estigma mas sim o modo pelo qual a sociedade percepciona (erradamente) o tom de pele.
Uma morena é aquela que já nasce naturalmente bronzeada e não quem tem pele clara e cabelo escuro!!!Se fosse assim,a branca de neve ia ter outro nome.
A cor morena refere-se à pele,tal como a cor caucasiana,vulgarmente chamada de branca.
Há muita gente da raça europeia que não gosta de ser chamada de branca,ainda não aprenderam a aceitar isso,demonstrando visivelmente um tremendo complexo de inferioridade em relação aos morenos verdadeiros.Talvez seja somente o início de um longo processo a ser resolvido...dando a sensação de ser um novo racismo.
Para confirmar isto,estão os bronzeados artificiais:assemelhar-se a uma pessoa escura e depois catalogar de "minorias étnicas",é bastante revelador...o bronze artificial é temporário onde uns ficam vermelhos e outros de cor branco-sujo.
Quem conserva o tom de pele,sabe que não custa nada admitir como é,ao contrário dos que fingem e nunca vão ser!Os japoneses e coreanos também pertencem à raça europeia.
A consequência é sofrer de baixa auto-estima.
A incapacidade de distinguir entre branco e moreno,deve-se à falta de cultura geral porque a cor da pele não é um dado adquirido:ou tem ou não se tem melanina na genética.
Esta ignorância é reforçada em flecha pelos meios de comunicação,algo incabível nos dias de hoje,ao invés de ser explicado!
Por exemplo:uma pessoa caucasiana pode ter pintado (ou não) o cabelo de escuro que vai continuar a ser caucasiana;a ideia foi mal atribuída,ou ser escura e ter pintado o cabelo de loiro.Continua na mesma a ser morena.
Portanto,o que determina uma pessoa morena é a cor de pele e não do cabelo como se denota tanto por aí,pois em nada isso interfere.

Sem comentários:

"O discurso é o rosto do espírito." Séneca
"A vida é uma simples sombra que passa (...);é uma história contada por um idiota,cheia de ruído e de furor e que nada significa." William Shakespeare
"O homem que não tem vida interior é escravo do que o cerca" Henri Amiel
"É bom escrever porque reúne as duas alegrias: falar sozinho e falar a uma multidão" Cesare Pavese .