quarta-feira, 22 de abril de 2015

Decisões # destino

Saudações sangrentas do Reino das Mil Sombras!
Esta crónica é sobre as decisões tomadas no rumo individual que ditará o futuro a longo prazo e do qual muita gente não tem noção,achando de que se pode ter tudo.
Quando alguém toma uma decisão,inevitavelmente a outra opção fica para trás.Ora o problema para a esmagadora maioria,trata-se de ser uma afirmação desactualizada quando no fundo tem uma grande dose de verdade.
A polivalência é uma característica típica bastante admirada,trazendo em contraste o stress e a desmotivação.

1 - Formar família
Quem opta por formar família,não pode queixar da falta de tempo para outras coisas;a liberdade de um acaba quando começa a de outro.Portanto os filhos querem pais presentes e dedicados.

2 - Independência
Uma mulher independente geralmente tem uma vida atribulada.Logo,se não há espaço emocional e prioriza a carreira,porque raio vai procurar um parceiro?A opção feita tem de deixar suficientemente feliz e preenchida mas de outro lado há quem procure mais tardiamente por medo de acabar sozinha/o na velhice ou simplesmente por carência,esse é o erro cometido.

3 - Insegurança
A falta de amor-próprio é uma entrave afectiva.Uma pessoa que não entenda nada de relações,que não se esforça para aprender e é ingénua não vai conseguir ir longe.Alguém que se relacione com esta vai pensar que está a ser manipulado/a.

4 - Falta de sentido de iniciativa
Uma pessoa sem iniciativa não vai tomar decisão nenhuma no relacionamento.Este é um alerta de passividade,dependência ou seja,de alguém muito fechado e sem capacidade crítica.
Pessoas destas nunca mudam só empatam!!!

5 - Conciliar filhos e carreira
Quem ocupa um cargo de superior hierárquico e simultaneamente tem filhos e companheiro/a ao cuidado,a atenção logicamente vai estar virada para a ambição.
É impossível conciliar família com carreira de sucesso.Esta idealização da super mulher parte do princípio feminista como forma de mostrar as multifacetas mas não se aplica à realidade,é falsa!
Um trabalho de poder pesa mais que o comum,então,a pessoa estará condenada a sofrer de desgaste psicológico porque optou por duas responsabilidades monumentais e talvez os filhos cresçam sem valores morais.

Tomar decisões é uma tarefa fácil.
Infelizmente a ideia do cuidar da casa é associada a submissas...isso ficou lá na época das avós que tinham de sustentar os maridos.Enfim,são atrocidades do costume pois em última análise,é uma opção tomada de livre vontade a quem saiu a sorte grande de ter um companheiro/a raro/a e não precisar de trabalhar.Em casos destes,também se manda à merda os incrédulos.
Concluindo:o caminho trilhado é feito de opções individuais.Os acontecimentos têm mão do destino e não se controlam.

Sem comentários:

"O discurso é o rosto do espírito." Séneca
"A vida é uma simples sombra que passa (...);é uma história contada por um idiota,cheia de ruído e de furor e que nada significa." William Shakespeare
"O homem que não tem vida interior é escravo do que o cerca" Henri Amiel
"É bom escrever porque reúne as duas alegrias: falar sozinho e falar a uma multidão" Cesare Pavese .