terça-feira, 10 de março de 2015

Alhos e bugalhos

Continuando a crónica sobre os romancistas de rede social,esta mensagem vai ser centrada no público.
Qualquer membro que adira ao FB em língua portuguesa,vai deparar que a maior comunidade de falantes é composta por brasileiros.A partilha de diversos tipos de conteúdo de longo alcance,são provenientes de páginas brasileiras.As páginas portuguesas geralmente servem mais para ganhar seguidores e os membros são pouco participativos.
Ora recentemente,começou a haver uma página portuguesa (e obviamente já se verificou outras) que tem dado destaque a textos de autores brasileiros.Só por existirem meia-dúzia,não significa que lhes deva dar visibilidade ou alterar de forma a ser entendido da parte deles,o que não falta pelo facebook afora são páginas próprias de romancistas profissionais e textos com os mesmos fins!Se o público se interessa tanto,que adicione as páginas brasileiras ou a fonte daquilo que despertou a atenção.
Nas páginas portuguesas é suposto ter publicações (originais) em português de Portugal,onde praticamente há pouca referência;a rede social é dominada pelos brasileiros.Por vezes até se metem onde não são chamados,como se não soubessem distinguir.
Eles desabafam,aconselham,moralizam e falam de tudo porque culturalmente são livres,logo é normal.Por outro lado,o excesso de simpatia encobre o cinismo e o analfabetismo funcional reina em cada recanto.
Por exemplo,ao pesquisar sobre leggings na internet,os resultados são do Brasil,um erro atroz!
Aquilo são experiências relatadas conforme a realidade desse país (não do outro) e a opinião masculina reflecte a quantidade estrondosa de tarados sexuais.
As iniciais "pt-br" jamais deveriam aparecer juntas também por motivos semânticos e gramaticais.O português vai perdendo valor por causa das influências,para quem não se importa com este detalhe.
Alhos são alhos,bugalhos são bugalhos e é preciso aprender a aceitar isso.
Ainda no exemplo,claro que vai havendo muitos pontos em comum mas não quer dizer que estejam certos.
Caso se trate de um assunto relacionado com algo pessoal,há um batido de optimismo,gabarolice e machismo,provocando aos poucos um ódio de estimação por roçarem a estupidez,sendo difícil dar credibilidade.
Resumindo:a receptividade é a característica típica desse povo,totalmente oposta aos membros portugueses;daí não se misturar alhos com bugalhos.

Sem comentários:

"O discurso é o rosto do espírito." Séneca
"A vida é uma simples sombra que passa (...);é uma história contada por um idiota,cheia de ruído e de furor e que nada significa." William Shakespeare
"O homem que não tem vida interior é escravo do que o cerca" Henri Amiel
"É bom escrever porque reúne as duas alegrias: falar sozinho e falar a uma multidão" Cesare Pavese .