terça-feira, 11 de fevereiro de 2014

Observação acerca de páginas patrióticas e de movimentos sociais

Depois de ter focado bem em páginas dedicadas ao patriotismo e em movimentos sociais,cheguei à conclusão que a sua grande maioria é apenas ruído virtual.
A quantidade de páginas que apoiam Portugal no futebol e exaltam a beleza feminina (muitas delas são de outras nacionalidades vestidas a rigor),no fundo têm como objectivo fazer spam e aumentar o número de membros.
Nas de movimentos sociais também se passa o mesmo e os que se oporem,são logo bloqueados ou têm os comentários apagados,pois os moderadores só deixam os que são totalmente a favor,trocando argumentos entre eles.
Nunca uma página pode ser considerada revolucionária com atitudes abusivas!Só se deve banir um membro quando dirige ataques pessoais ou quando atenta à liberdade de expressão a alguém,porque todos sabem que para haver mudanças reais deve-se ter em conta todos os pontos de vista para se chegar a um acordo!E como é óbvio,um papel mais interventivo por parte da moderação.
É por isso que acho muito bem a comunicação social não dar cobertura a esta gente,até porque um dia vão abandonar e aquilo não passou de uma pseudo-revolução.
Lembro-me do caso do geração à rasca (nada a ver com o que referi),um movimento que outrora atingiu uma gigantesca dimensão nacional e hoje o nome passa despercebido.
Voltando ao assunto,quando alguém vem para uma plataforma iniciar um movimento ou debater ideias,primeiramente tem de haver regras,depois não deve favorecer ninguém,deve-se manter activo e por fim ter consciência que jamais deve ser intolerante às reacções adversas do público.
Esta observação é um detalhe destes dois tipos de páginas.Publicar conteúdo repetido e ruidoso,é lixo!

Sem comentários:

"O discurso é o rosto do espírito." Séneca
"A vida é uma simples sombra que passa (...);é uma história contada por um idiota,cheia de ruído e de furor e que nada significa." William Shakespeare
"O homem que não tem vida interior é escravo do que o cerca" Henri Amiel
"É bom escrever porque reúne as duas alegrias: falar sozinho e falar a uma multidão" Cesare Pavese .