segunda-feira, 5 de agosto de 2013

Silenciei-me...

...a partir do momento em que a comunicação social e sociedade,retrataram e quiseram que a mulher fosse objecto de prazer masculino em todas as circunstâncias;silenciei-me,a partir do momento em que o romantismo se extinguiu;silenciei-me,a partir do momento em que um hipócrita arruinou tudo;silenciei-me,a partir do momento em que o cinismo e ilusão ganharam terreno;silenciei-me,a partir do momento em que a banalidade foi incentivada;silenciei-me,a partir do momento em que beleza e estatuto se sobrepuseram a respeito e educação;silenciei-me,a partir do momento em que o humor passou a ser visto como palhaçada;silenciei-me,a partir do momento em que o amor verdadeiro e amizade duradoura foram considerados ultrapassados;silenciei-me,a partir do momento em que vi jovens a se perderem em busca de afirmação;silenciei-me,a partir do momento em que a tecnologia passou a ser prioridade do que o contacto pessoal;silenciei-me,a partir do momento em que a inveja entranhou na alma de muita gente e causou grandes danos na vida dos outros;silenciei-me,a partir do momento em que surgiu um surto de mães solteiras e consequentemente famílias incompletas;silenciei-me,a partir do momento em que as concretizações pessoais passam por metas "servidas de bandeja" ou de um caminho pré-traçado por segundos e terceiros;silenciei-me,a partir do momento em que a confiança foi envenenada.
Silenciei-me...no meu silêncio.

Sem comentários:

"O discurso é o rosto do espírito." Séneca
"A vida é uma simples sombra que passa (...);é uma história contada por um idiota,cheia de ruído e de furor e que nada significa." William Shakespeare
"O homem que não tem vida interior é escravo do que o cerca" Henri Amiel
"É bom escrever porque reúne as duas alegrias: falar sozinho e falar a uma multidão" Cesare Pavese .