quinta-feira, 14 de fevereiro de 2013

Er(r)a uma vez


Neste dia especial,vou deixar antes de tudo o meu apoio aos que:
-amaram verdadeiramente alguém e nunca foram correspondidos;
-conviveram durante anos e acabaram por serem traídos;
-foram impedidos de se comprometerem;
-nunca tiveram a sorte de encontrar alguém;
-foram rejeitados a uma certa altura e "fecharam as portas" ao romance;
-vos fizeram acreditar que vocês são inúteis;
-tiveram outros problemas pessoais.

Pois é,é muito triste quem faz disto uma competição...os culpados são os que banalizaram este sentimento e o transformaram em algo desvalorizado,artificial e consumista e depois quem sente é que sofre e tem de se desenrascar.
Nunca é tarde para se reeducar afectivamente,pois o amor para além de ser respeito e harmonia,tem de surgir naturalmente,jamais deverá ser forçado ou facilitado.Há que ter uma base muito sólida para saber o seu significado.
Eu sinceramente não consigo entender porque razão o compromisso sério é visto como fora de moda,conservadorista,típico de famílias preconceituosas e mais uma série de rótulos negativos que lhe são atribuídos...a libertinagem é justamente um dos motivos que leva os bons a desistirem de conhecer o/a tal para toda a vida.
Este conceito actual absurdo e miserável fez-me lembrar quando dantes o homem traía as mulheres,dava-se-lhe vantagem do que se fosse ao contrário.Agora essa mentalidade proveniente de educação machista já foi finalmente deitada abaixo e independentemente da idade,a lição é igual para os dois quando são oferecidos:MEDIOCRIDADE!!!
Cada vez mais é visível a impossibilidade de confiar no próximo,(até mesmo para amizade) pois perdeu-se muito a noção do que é duradouro e do sentido de companheirismo.Quem não acredita,tem-se o exemplo do "BE2","Meetic" e outros tantos sites de relacionamentos com caras "plastificadas" e prontas-a-conhecer.(aquilo são mais catálogos de pessoas,onde alguns o utilizador deve pagar para usar.)
Por outro lado,usar o próximo é muito cruel,pois o tempo para viver é curto e cada instante que passa ao se recompôr de um desgosto,são meses e anos desperdiçados do qual a pessoa podia ter construído uma história com final feliz.
Conclusão:só existe er(r)a uma vez a oportunidade porque o amor também é um processo de aprendizagem e não uma afirmação de autoridade!!!

1 comentário:

Decio Silva disse...

o que dizes tem todo sentido

"O discurso é o rosto do espírito." Séneca
"A vida é uma simples sombra que passa (...);é uma história contada por um idiota,cheia de ruído e de furor e que nada significa." William Shakespeare
"O homem que não tem vida interior é escravo do que o cerca" Henri Amiel
"É bom escrever porque reúne as duas alegrias: falar sozinho e falar a uma multidão" Cesare Pavese .