quarta-feira, 13 de janeiro de 2016

Professores e alunos amigos no facebook

Saudações fantasmagóricas!
Esta crónica vai ser sobre um tema do qual muitos passam despercebidos e que na verdade é bastante importante tocar,a fim de não haver problemas.
Numa breve pesquisa efectuada acerca das amizades entre professores e alunos no facebook,os resultados obtidos revelam ser ainda uma novidade,a discussão é pouco aberta e a informação retida é escassa por não haver opiniões desenvolvidas.
Há tempos,foi abordado aqui uma mensagem semelhante de como a relação torna-se complicada,podendo até acabar mal (geralmente para o aluno);esta será mais concreta e aprofundada.
As amizades entre professores e alunos sempre foram mal-vistas por parte de pessoas conservadoras,afirmando ser devido à ética profissional onde no entanto a distância proveniente da ignorância,prejudicou as notas e as gerações.
Adicionar docentes no FB é uma questão ambígua e complexa.
Os professores precisam de analisar e ter primeiro uma perspectiva da rede social:há lixo,utiliza-se linguagem informal,a falta de educação grassa ao redor,encontra-se erros ortográficos e más interpretações de textos.Convém ter preparação,pois é usado erradamente como refúgio por muitos solitários.
Antes de tudo,o facebook é um espaço muito pessoal e de nada vai adiantar criar uma conta só para entrar na onda da proximidade ou para impôr condições de aceitação aos alunos.
Os vínculos começam a ser estabelecidos na sala de aula.Se a escola é a segunda casa,é lá nesse ambiente que deve ser tudo ensinado,pois os educadores têm um papel de peso na formação de futuros cidadãos.Tudo se comunica pessoalmente e não por meios tecnológicos.
Os professores têm de ter uma percepção daquilo que envolve fazer amizades virtuais com alunos.Eles têm de ser justos,escrupulosos e conscientes com as ideias que vão transmitir e devem evitar ser diferentes da realidade.
Quanto ao aluno,vai-se cruzar com perfis indesejados e conhecer alunos de outras turmas...praticamente tudo é desmascarado e exposto.
Porém,se um docente tem muito trabalho a gerir,como vai ter disponibilidade e dedicação ao perfil?É óbvio que o FB pode ser ocasionalmente uma excelente ferramenta de estudo,vir a auxiliar os alunos em caso de bullying por exemplo,trocar e partilhar material de apoio,apontamentos e até algum conteúdo pedagógico mas não substitui o ambiente escolar!!!O ecrã traz simplesmente liberdade.
Os educadores deviam incutir a tolerância pelos gostos,escolhas uns dos outros e respeitar a individualidade ao invés de se formatar para seguirem o "rebanho" (influências):é grande responsabilidade deles moralizar,contribuir e alertar de que vivemos numa sociedade democrática,porque do contrário vai-se continuar a acreditar que a educação depende de casa.Por isso a maioria das pessoas tem dificuldades em se orientar no percurso vida e evoluir.O sistema de ensino é antigo e não representa.
É impossível confiar em alguém que está preocupado em caçar pontos fracos ao invés de se focar nas qualidades;um professor tem o dever cívico de motivar,inspirar e cativar os alunos nas aulas,só assim sai a ganhar nas amizades e a aprendizagem melhora.
Há quem espere o ano lectivo terminar ou deixar de ser professor para adicionar...outra incoerência.
O convívio entre o docente e os alunos devia constar obrigatoriamente nos planos extracurriculares para acumularem experiência com os adolescentes e não compensar com psicólogos.
Voltando à crónica,os professores não podem pedir aos alunos para não fazerem asneiras depois de divulgarem os contactos:a rebeldia é uma característica típica da adolescência ou então mais vale não divulgar!!!
Fazer grupos próprios no FB como método de estudo,também é escusado,o tempo é curto e os professores mudam.
Não faz sentido manter uma postura na escola e no fim andar com discursos hipócritas:a internet reflecte o comportamento e é uma fonte de impressões.
A maioria dos docentes não têm esta noção nem sabem lidar com este domínio.
Pior é quando haver situações duvidosas ou confusão entre ambos:aí deve "separar as águas" e explicar a gravidade dos riscos virtuais sem autoritarismos.
Resumindo,não é normal os docentes quererem complementar as aulas ou serem amigos dos alunos na rede social se não são capazes de adicioná-los em contexto escolar,fazendo distinção dentro das salas!
Mesmo havendo uma boa relação,não é recomendável tê-los como amigos nas plataformas.Perde-se o à vontade para se exprimir enquanto ser humano.
Em suma,o professor tem de ter o bom-senso que o FB é o estado natural da interacção,não tem de proibir nenhum tipo de perfil e a época do "depósito de filhos" nem devia existir.

Sem comentários:

"O discurso é o rosto do espírito." Séneca
"A vida é uma simples sombra que passa (...);é uma história contada por um idiota,cheia de ruído e de furor e que nada significa." William Shakespeare
"O homem que não tem vida interior é escravo do que o cerca" Henri Amiel
"É bom escrever porque reúne as duas alegrias: falar sozinho e falar a uma multidão" Cesare Pavese .