quinta-feira, 11 de dezembro de 2014

Elos e relações


O tema desta mensagem vai ser sobre a qualidade das relações que se criam durante a fase de crescimento.
Uma relação saudável entre pais e filhos,é pautada não só de educação,como pela brincadeira.
Ao contrário da psicologia conservadora antiga,uma pessoa conhece mais sobre alguém através de momentos divertidos/informais do que de sermões,que não permitem criar elos.
Quem nunca brincou com os pais,provavelmente é amargurada e também não é muito disposta a dar afecto,erro abominável transmitida pelas gerações anteriores:o medo!
Enquanto há famílias que privam os pequenos de brincarem com brinquedos e jogos lúdico-didácticos,há no mundo,milhões de adultos que nunca tiveram infância e crianças que nunca terão acesso a tal;isto é só um exemplo da estupidez incutida.
Na verdade não existe idade para ser feliz.Se nunca houve proximidade com os filhos,a relação arrisca-se a ser distante para o resto da vida,pois eles cresceram com pouco amor.
Os elos constroem-se com vínculos afectivos,sorrisos,cumplicidade e acima de tudo transparência,e não de modo puramente séria ou por outros motivos que só prejudicam.
As relações são fáceis de serem desenvolvidas com gente afável (jamais confundir com as extrovertidas/exibicionistas!),pois são essas as mais receptivas e comunicativas.
A falta de divertimento leva com que se reproduza velhos clichés e se siga lógicas inválidas;aliás,nenhuma relação pode ser considerada saudável e feliz sem alegria,pois esta característica estreita laços e aproxima pessoas!
Evitar estes prazeres é perder o melhor da vida porque se assim fosse,não se podia divertir em lado nenhum.
Divertir é extremamente importante para a alma e para desarmar o outro,só assim se cria bons elos.

Sem comentários:

"O discurso é o rosto do espírito." Séneca
"A vida é uma simples sombra que passa (...);é uma história contada por um idiota,cheia de ruído e de furor e que nada significa." William Shakespeare
"O homem que não tem vida interior é escravo do que o cerca" Henri Amiel
"É bom escrever porque reúne as duas alegrias: falar sozinho e falar a uma multidão" Cesare Pavese .