quarta-feira, 16 de julho de 2014

Bombeiros vs. nadadores-salvadores

Saudações tenebrosas!
O tema de hoje vai ser sobre as diferenças entre os bombeiros e os nadadores-salvadores.
Estas duas profissões,têm um ponto em comum:salvar-vidas,com a diferença que um trabalha com fogo e o outro com água.
Tirando esta parte,o aspecto físico é o único critério bastante notável.
Os bombeiros costumam ser gordos-baixos,velhos,têm capacidade de mobilização reduzida talvez por comerem pão com bifana e beberem cerveja,fumam,são calvos e supõem-se que sejam activos enquanto são jovens;porque depois ficam totalmente fora de forma que até põem a vítima em risco (ou até eles próprios).
Já os nadadores-salvadores são trabalhadores sazonais e no resto do ano são pessoas ligadas à área do desporto,principalmente licenciados em natação.
Ao contrário dos bombeiros,estes costumam todos serem jovens frescos,admitidos logo à entrada da maioridade até aos vinte e tal anos.Os mais velhos são poucos.
Eles são metrossexuais,têm ar de tarado,outros de parvos,ainda há os convencidos,podem ter tendência a serem arrogantes,são atléticos,raramente são gordos e vê-se mais homens que mulheres.
Às vezes até dá vontade de rir quando sentam nos cadeirões,como os palhaços.
Ou seja,ambas profissões lidam com pessoas em apuros.Não dá para entender porque é que numa pode ter gordos e fumadores quando a chamada surge a qualquer altura,e noutra requer ser saudável e com a preparação física em dia,quando passam a maior parte do tempo parados e sem nada para fazer...isto é um grande trocadilho!!!
Concluindo,os nadadores-salvadores também devem ser lembrados pelos seus trabalhos em praias,piscinas e parques aquáticos.

Sem comentários:

"O discurso é o rosto do espírito." Séneca
"A vida é uma simples sombra que passa (...);é uma história contada por um idiota,cheia de ruído e de furor e que nada significa." William Shakespeare
"O homem que não tem vida interior é escravo do que o cerca" Henri Amiel
"É bom escrever porque reúne as duas alegrias: falar sozinho e falar a uma multidão" Cesare Pavese .