domingo, 26 de janeiro de 2014

"Girl Code"

Recentemente começou a ser transmitido na MTV,um programa que é um verdadeiro manual de instrução feminino.
Um grupo de mulheres vão dando dicas e aconselhando sobre como agir e comportar em diversas situações,a partir das suas experiências pessoais.
Elas conversam com as câmeras com uma grande descontracção como se estivessem a falar com uma amiga em particular,daí a linguagem ser brejeira mas muito bem esclarecida.É como se diz:curta e grossa.
Enquanto assisti,lembrei de todos os programas nacionais desse tipo que passaram ao longo dos anos,sobretudo o da Marta Crawford e de que nada ficou retido,nada valeram,pois não passavam de risinhos ridículos,gozos,mesquinhez e perguntas retrógradas...eram mais sensacionalistas que pedagógicos.
O "Girl Code" supera qualquer espectáculo barato de "tia" parvalhona,só lamento profundamente de não ter surgido há mais de meia-dúzia de anos...fazia uma grande falta,pois a pouca abertura em relação a isto era repleta de tabús,enrolações,de gente escandalizada por serem os mais novos a saberem mais que eles e de falsos-puritanos e além disso,serve para confirmar a informação que actualmente se mete online e do qual já não deve ser nenhuma novidade para muitas.
À vista elas parecem vulgares,perversas ou vindas de gueto mas no decorrer percebe-se muito bem que é acessível a todos os tipos de mulheres,pois as representações,os esquemas e o que dizem são baseados em factos reais,não há nada inventado.
A outra vantagem é chamarem os "bois" pelos nomes,o que convinha ser desde o princípio quando se vai abordar assuntos intímos e pessoais.
Como o programa é de louvar,vou aproveitar para deixar algumas citações:

Sem comentários:

"O discurso é o rosto do espírito." Séneca
"A vida é uma simples sombra que passa (...);é uma história contada por um idiota,cheia de ruído e de furor e que nada significa." William Shakespeare
"O homem que não tem vida interior é escravo do que o cerca" Henri Amiel
"É bom escrever porque reúne as duas alegrias: falar sozinho e falar a uma multidão" Cesare Pavese .