segunda-feira, 24 de junho de 2013

Nas profundezas da alma

Discursos ensaiados
Felicidade fingida
Palavras atiradas ao vento
Memórias perdidas no tempo
Coração morto,vingança despertada
Lágrimas de sangue intermináveis escorrem pelo rosto abaixo
Vozes surgem nas profundezas da alma gélida:
Gritos,gemidos e súplicas apoderaram-se forçadamente.
Sentimentos torturantes
Pensamentos devastadores
Essa poção venenosa chamada amor,
Tem o dom artístico e marcante simultaneamente.

1 comentário:

Decio Silva disse...

esta muito bonito o que escreveste :)

"O discurso é o rosto do espírito." Séneca
"A vida é uma simples sombra que passa (...);é uma história contada por um idiota,cheia de ruído e de furor e que nada significa." William Shakespeare
"O homem que não tem vida interior é escravo do que o cerca" Henri Amiel
"É bom escrever porque reúne as duas alegrias: falar sozinho e falar a uma multidão" Cesare Pavese .