quarta-feira, 17 de abril de 2013

Acerca de números

Sempre que uma pessoa pede à outra o número de alguém em comum,é óbvio que esta não vai dar sem autorização porque é considerado falta de respeito.
Se esse alguém não deu pessoalmente o número mesmo que se fosse para resolver um problema,também considero falta de respeito,pois esta primeira pode arranjar um meio de o obter,desde que tenha dados actualizados e autênticos acerca dele.
Sim,estou-me a referir à "milagrosa" lista telefónica em papel!
Quando se sabe o nome completo e a localidade onde vive,o número (geralmente fixo) aparece lá divulgado mas só se a pessoa estiver por conta própria ou algo do género.
A outra maneira de apanhar essa pessoa estúpida,é recorrendo às páginas brancas online e a última é simplesmente fazendo uma chamada gratuita para uma central onde logo se é disponibilizado.
E agora,consideram isto grave?Tenho pena,pois se o autor se descuidou com a dita confidencialidade,o outro não pode ser culpado,hahahahahaha!

Sem comentários:

"O discurso é o rosto do espírito." Séneca
"A vida é uma simples sombra que passa (...);é uma história contada por um idiota,cheia de ruído e de furor e que nada significa." William Shakespeare
"O homem que não tem vida interior é escravo do que o cerca" Henri Amiel
"É bom escrever porque reúne as duas alegrias: falar sozinho e falar a uma multidão" Cesare Pavese .