terça-feira, 31 de março de 2009

Exprimindo através de músicas os meus sentimentos bloqueados

boa noite cibernautas!
Hoje apareci para postar uma mensagem acerca da lista de hiperligações de músicas que tenho ao lado.
Depois de um certo tempo de ausência,apareci novamente, agora em plena férias de páscoa.
Tenho andada muito chateada,desanimada e desencantada especialmente com a disciplina de área projecto. Nós somos 5 alunas e o grupo anda dividido em três de um lado e duas do outro. Eu estou com duas colegas que são apegadas uma á outra, estão convencidas que quanto mais produtos finais fizermos mais a avaliação sobe (confundem qualidade com quantidade), mas de facto o que aumentou foi o portfólio (de lombada grande) que já são dois e a "palha para burro comer"(as resmas) que produziram e que não têm ligações lógicas de modo a constituir um trabalho só. Fazem de tudo para enganar a stôra! E ainda há sondagens por distribuír e as redacções por verificar,uma vez que elas postaram por todos os pavilhões a publicidade da melhor redacção ganha um mp3, dah-ah! São autenticamente "tias de Cascais" e víboras,foda-se, tudo para dar nas vistas, até o nome do nosso grupo "neutrae imagines" em latim!!! ( Para quê vou contestar se uma delas vai arranjar argumentos?)foda-se que caralhos dos diabos onde estou metida!!!
Agora estou para ver como vamos conseguir acabar tudo em um mês e meio...não podemos fazer o jornal ou a apresentação final sem contar as sondagens sobre os grupos e discriminação. A única vantagem é que a nossa escola está em obras e espero que haja poucos recursos para a apresentação em powerpoint á comunidade,e era benfeito,estaria tudo estragado ás merdas das "tias"!!! Eu não me quero chatear com ninguém porque elas não são de confiança nem imparciais,são víboras e falsas,foda-se caralho,tenho vergonha de estar no grupo delas até ao fim do ano. E uma delas é demasiado perfeccionista, não sei porquê se a nossa stôra de a.p. não regista o nosso portfólio e mal vê o conteúdo...e está constantemente a discutir connosco e a mandar fazer mais trabalhos sem dar indicações nem nada...é horrível!!! Depois nunca assume que não é stôra de aulas práticas e que não tem jeito para esta disciplina onde nunca leccionou. Deixou dois elementos mudar de grupo e reajustarem-se a meio do 2ºperíodo,já que elas se manifestaram contra o tema dos grupos, e ainda deixaram trabalhos...se fosse com a stôra Gabriela estaríamos todos alinhados. A nossa cota afirma ser a favor da paz e a seguir diz que não quer que ninguém lute por causa da stôra,GRANDA DAAAAAAAAH-AAAAAAAH!!! Vê-se logo que é a stôra que provoca discussão e não assume e ainda orgulha-se. Sinceramente,área projecto é uma disciplina que gera muita polémica mesmo,faz correr muita "tinta",ehehehe!
Tal como eu sabia isto ía acabar á "luta" ( uma turma de 5 "fantásticas" partida cada um para o seu lado),elas são fúteis e a turma tem vindo a degradar-se por causa disso; e não se esqueçam que é por causa de gente assim que a sociedade está repleta de jovens de baixo nível...isso nota-se cada vez mais nas ruas e nas grandes cidades. A minha turma é apenas uma amostra da futilidade!
Não tenho palavras para exprimir o meu desencanto,desanimo e até uma certa raiva que nutro "eternamente" no fundo do meu silêncio por coisas que acho completamente inúteis de discutir e que não têm por vezes sentido (na vida). Eu só sei que devo ter alma gótica. As músicas que tenho ao lado e as poesias são exactamente a forma que encontrei para exprimir o que eu pretendia.
Eu na realidade, não venho para me chatear com ninguém...área projecto não me convence,muito menos as "tias" ( as acéfalas e ordinárias) só sei que "mais vale um só que mal acompanhado".

Sem comentários:

"O discurso é o rosto do espírito." Séneca
"A vida é uma simples sombra que passa (...);é uma história contada por um idiota,cheia de ruído e de furor e que nada significa." William Shakespeare
"O homem que não tem vida interior é escravo do que o cerca" Henri Amiel
"É bom escrever porque reúne as duas alegrias: falar sozinho e falar a uma multidão" Cesare Pavese .